03 abril 2017

Crítica | "Os 13 porquês" é um tapa na cara da sociedade (principalmente dos jovens)


Acabei de assistir todos os episódios da nova série original Netflix 13th Reasons Why e estou com o sentimento bem bagunçado - o famoso mixed feelings. Por um lado, feliz de poder assistir uma história tão forte e bem construída; por outro, triste em saber que é uma realidade nas escolas de todo o mundo.

Baseada no livro homônimo de Jay Asher, "Os treze porquês" conta a história de Hannah Bakers. A estudante do colégio Liberty comete suicídio mas, antes disso, deixa 13 fitas explicando as razões ou apontando as pessoas que foram responsáveis por ela chegar naquele ponto. Partindo dessa premissa, a série se inicia quando o co-protagonista Clay Jensen tem acesso a essas fitas e começa a ouvi-las. 

A série queridinha do momento é extremamente bem dirigida e editada. Contando com flashes do presente e do passado, a narrativa não tem uma linearidade como estamos acostumados a ver em seriados adolescentes, e isso é responsável por aumentar (e muito) a curiosidade do espectador sobre o que os "amigos" fizeram de ruim para a protagonista. Outro ponto positivo, sem dúvidas, é o elenco escolhido. Mesmo tendo muitos integrantes novatos, a maioria entrega uma boa atuação e o principal destaque é a mãe da Hannah que é interpretada pela excelente Kate Walsh (conhecida por Greys Anatomy).

Por outro lado, o roteiro deixa um pouco a desejar por colocar algumas cenas longas ou que não acrescentam muito para a trama em si. Tive a impressão que os produtores quiseram deixar 13 episódios (um dedicado a cada fita), mas 8 ou 9 episódios daria para fazer uma coisa mais objetiva e sem prolongar cenas desnecessárias. Entretanto, por conter um elenco bem carismático, essas cenas "a mais" não chega nem a serem cansativas e passam despercebidas pelos fãs.



Não preciso nem comentar sobre a extrema necessidade dessa série para a sociedade, né? Sabemos que o bullying é um assunto sério e que prejudica muitos jovens ao redor do mundo. Utilizando de cenas bem fortes e chocantes, Os 13 porquês dá um tapa na cara de quem acha que apelidos e ofensas são só brincadeiras escolares e que quando crescerem tudo isso vai passar. Essas brincadeira deixam marcas nas pessoas e, mesmo não chegando ao suicídio, os jovens carregam esse peso para o resto da vida. Obrigado, Netflix! Vocês se fazem mais necessários a cada dia que passa. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram: @Estupefaca