29 março 2017

"Escape Time" é um Prison Break da vida real que, nós do Estupefaça, não saímos vivos!



Na última semana recebemos o convite para visitarmos uma casa de escape games e, além disso, poderíamos participar de uma rodada desse jogo de estratégia e suspense. No início fiquei um pouco receoso por não falarmos muito de jogos no blog mas, por fim, vi que Escape Time tem TUDO a ver com cultura pop e geek que sempre abordamos por aqui. Sendo assim, resolvi contar um pouquinho como tudo funciona por lá e como foi minha primeira vez tentando escapar de uma sala "prestes a explodir".

| Sobre o jogo!

Envolvendo diversão, desafio e raciocínio lógico, o jogo de fuga é uma experiência bem inovadora. Você e seus amigos (de 4 a 10 participantes) são “trancados” em uma sala interativa e trabalharão em equipe para escapar do ambiente. Usando apenas suas habilidades e as pistas encontradas para resolver o enigma, você tem que correr contra o relógio e escapar em uma hora. A empresa tem salas espalhadas por cinco capitais brasileiras (Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro, Goiânia e Brasília), e possuem temáticas variadas.


| Nossa experiência



A sala que jogamos foi a "Pânico no Expresso do Oriente". Um terrorista implantou uma bomba nesse trem que liga Londres a Istambul e nossa missão é escapar do vagão antes que tudo exploda (em uma hora). Como não tínhamos tanta experiência no jogo, não conseguimos escapar a tempo, mas descobrimos mais da metade das pistas. Não podemos dar muitos detalhes pois qualquer informação extra seria um spoiler e estragaria a experiência surpreendente de vocês. O que achei mais legal, além do cenário impecavelmente incrível, é como a sala é interativa e toda automatizada. Um objeto colocado no lugar certo e na hora certa, pode abrir portas que te levarão a novas pistas de como escapar vivo.  

Além disso, há pessoas que trabalham lá e ficam o tempo todo assistindo o que acontece dentro da sala pois, se precisar de ajuda, estarão lá com um walkie talkie nas mãos prontos para dar dicas ou sanar dúvidas.

Outro ponto positivo é que o jogo não utiliza de Jump Scares como forma de criar um suspense e um ambiente tenso. Essa técnica é muito usada em filmes que não conseguem atingir o clímax do suspense, e então optam por assustar os telespectadores com barulhos ou imagens aparecendo do nada na tela. O Escape Time já tem um roteiro bem construído e, dessa forma, consegue criar uma tensão natural sem precisar apelar para técnicas cinematográficas.


| Referências



Como não sou um gamer, não consegui pegar nem 10% das referências que tenho certeza que as salas possuem. Mas, mesmo assim, consegui fazer algumas analogias bem interessantes na minha cabeça (de leitor e cinéfilo). O seriado Prison Break, por exemplo, segue uma linha bem parecida com a temática da sala Alcatraz, a qual você precisa sair da prisão antes que seja morto na cadeira elétrica. Sala essa que, mesmo não jogando, tive a oportunidade de visitar e me surpreender com toda a cenografia (muito melhor que de muitos filmes por aí, juro!). Uma parte do cenário me lembrou muito o primeiro filme da franquia Jogos Mortais (2004), principalmente por ter corretes, azulejos sujos e um vaso sanitário bemmmmmm nojento. E ainda há a referência envolvendo a verdadeira "Alcatraz" e os diversos filmes/séries que ela inspirou, mas acho que isso não preciso nem comentar, né?

Ademais, conheci também uma sala que se inspira em hotéis dos anos 20 e mais uma vez me surpreendi com tamanho profissionalismo do cenário. Me lembrei muito da sexta temporada de American Horror Story, que tem um hotel um pouco mais sombrio. O papel de parede típico dessa época, possui uma tonalidade que me lembrou o clássico hotel Budapeste e também havia uma banheira, que logo me remeteu a vários filmes de terror ambientados em hotéis, dentre eles O Iluminado (1980) e Psicose (1960). Todas essas conexões faz com que a experiência seja ainda mais realística.

Por fim, a sala que joguei não me lembrava de outra coisa a não ser o livro "Assassinato no Expresso do Oriente". Escrito pela rainha do romance policial Agatha Christie, a obra nos conta a história do detetive Hercule Poirot que precisa procurar por pistas dentro do trem a fim de desvendar um assassinato. Eu estava me sentindo o Poirot, porém procurando pistas por motivações diferentes, mas a sensação foi a mesma!


| O veredito!

Foi uma experiência única! Com certeza gostaria de voltar mais vezes e poder jogar nas outras salas e, quando isso acontecer, vamos voltar e fazer uma review da nova experiência. As pessoas que foram comigo também amaram e já estão fazendo programas de levar outros amigos para jogar. O legal é que você pode fazer a reserva através do site deles e ainda conhecer melhor a história das outras salas. Vou deixar todas as informações aqui em baixo e, caso vocês joguem, volte aqui e nos conte como foi a experiência.



Fomos no Escape Time que fica em:

Rua Orange 92, São Pedro 30330-020 Belo Horizonte
 (31) 35662907/ 99543-0309

Mas, entrando no site, você consegue ver a localização dos outros polos espalhados pelo Brasil.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram: @Estupefaca