15 dezembro 2016

"Making a Murderer" é uma denúncia ao sistema judiciário americano


Já faz bastante tempo que não falamos sobre seriados aqui no blog, então resolvi tirar esse atraso para trazer uma super dica para vocês. Making a murderer é um documentário em forma de série, dividido em 10 episódios com aproximadamente uma hora cada. A premissa é bem instigante e logo fiquei bem curioso para conferir toda a história.

O que fala esse documentário?
Durante 18 anos de sua vida, Steven Avery ficou preso por um crime que realmente não aconteceu. Por volta dos anos 2000, com o avanço da tecnologia, foi possível realizar um teste de DNA e comprovar que ele realmente não havia estuprado a mulher, e, sendo assim, foi inocentado das acusações. Imagino que não há dinheiro que compense perder quase 20 anos de sua vida, mas ao processar o governo, Avery seria indenizado por milhões de dólares.


É aí que o problema realmente começa. Com a abertura desse processo, os policiais, detetives e autoridades responsáveis pelo caso do estupro começam a ser investigados por agirem indevidamente. É nessa época que acontece o assassinato de uma fotógrafa que teria sido vista por último em torno da casa de Steven Avery. Várias provas são encontradas, mas a maioria delas não são verdadeiras, ou seja, foram implantadas para incriminar o ex-detento. A série-documentário acompanha todo o caso de perto, com depoimentos, filmagens verdadeiras dos julgamentos, e todo sofrimento passado pela família Avery pela segunda vez.



Muitas pessoas defendem fortemente a imparcialidade do documentário, porém não é realmente o que acontece. As produtoras focam principalmente nas provas que inocentam o réu, mas mesmo assim não deixa de mostrar o trabalho da acusação. Sendo assim, fiquei bem indeciso em qual lado acreditar, mudando de opinião a cada segundo enquanto assistia a série. 

Segundo as criadoras do documentário, há mais de 700 horas filmadas sobre todo o caso, então já dá pra perceber que o documentário está bem detalhado, mostrando tudo, inclusive ligações que Avery faz de dentro da prisão para sua família. Estou acreditando fortemente em uma segunda temporada, já que ainda existe muito material não divulgado, e também porque o caso não está encerrado ainda. 


Por se tratar de um assunto muito grande e confuso, qualquer coisa que eu fale sobre o desenrolar do caso pode ser um grande spoiler e estragar as surpresas. Mesmo sendo tudo realidade, o caso tem uma complexidade extrema, e parece uma grande obra de ficção. 

Em uma das partes de Making a murderer, um dos advogados de defesa do Steven fala uma coisa que me deixa bem pensativo, a frase dele é mais ou menos "Você pode nunca cometer um crime, mas isso não significa que você nunca será preso". E isso me deixa bem indignado, como o sistema judiciário pode ser falho até mesmo em países considerados altamente desenvolvidos.

Enfim, indico muito essa série principalmente para quem curte temas como crimes, julgamentos, busca por provas, etc. É sem dúvida o melhor documentário que já assisti em toda minha vida. E realmente espero uma sequência, já que o caso ainda não está encerrado. Encerro esse texto com a minha reação durante todos os episódios:



Avaliação: 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram: @Estupefaca