20 dezembro 2016

"Chewing Gum" tem a protagonista mais beyhive de todos os tempos


Provavelmente você nunca ouviu falar da pequena série Chewing Gum que teve sua primeira temporada em 2015. Acontece que, recentemente, o programa passou a estar disponível no catálogo da Netflix e, assim, se tornou um pouco mais popular. Desde então, me propus a maratonar todos os seis episódios e resolvi escrever o que achei para vocês, pontos positivos e pontos negativos.

A narrativa da série não tem nada de muito especial. A história é contada de forma simples e comum porém surpreende por conter menções à cultura pop e ainda abordar temas que são tabus na sociedade. O roteiro passeia de forma cômica por alguns assuntos importantes de serem falados, Por exemplo, uma das premissas que se destaca nos primeiros episódios é a "primeira vez" de uma jovem negra de família cristã conservadora. Ainda assim a série consegue falar de outros assuntos como a homossexualidade e também o uso de drogas, tudo de isso de uma forma natural e bem humorada.

Vamos além: 05 motivos para assistir Chewing Gum, pelo blog Cooltural.


Sem dúvida alguma o maior destaque desse programa é a atriz Michaela Coel. Com seus 29 anos, ela dá um show de atuação, de caras engraçadas e ainda é a responsável por escrever os episódios. Como fui conhecer só hoje uma pessoa tão talentosa como ela?

Devido todas as qualidades citadas acima, a série foi uma das minhas melhores descobertas em 2016. É aquele tipo de programa para não se levar a sério, para ser bem trash e engraçadão mesmo. Muito parecida com o estilo de humor que "Scream Queens" se propôs a fazer, mas que não foi tão bem aceito assim pela crítica especializada. Eu gosto da série e aguardo ansiosamente a segunda temporada que, mesmo após muita procura no Google, ainda não descobri quando sai.



4,5 raiozinhos: Um jeito engraçado e divertido de encenar os clichês da tv.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram: @Estupefaca